Dois países com salários baixos vêem aumentar o numero de freelancers

O salário conquistado todos os meses por todos os trabalhadores do Brasil e do mundo é responsável pela alimentação, saúde, educação e muitas outras nessecidades do ser umano, mas como fazer quando o salário minimo é muito baixo? Nas próximas linhas você vai conhecer como vivem e quais alternativas tomam os trabalhadores que vivem nesses países.

Para conhecer mais sobre as condições de trabalho e salario minimos em diversos paises acesse www.valordosalariominimo.net e veja as principais noticias e novidades envolvendo o salário minimo.

Venezuela

Na verdade, a Venezuela apresenta uma situação muito interessante. Esta nação sul-americana é rica em recursos e tem muito potencial económico, mas a má política e um governo corrupto destruíram a sua economia. Atualmente, eles estão enfrentando a pior hiperinflação do mundo.

Com uma moeda desvalorizada, muitos Venezuelanos recorrem a empregos online que pagam em moeda estrangeira (principalmente USD) porque o Bolívar é quase inútil para eles.

Na Venezuela, há uma importante força de trabalho de profissionais bem preparados que lutam para ganhar a vida. Vendo esta oportunidade, muitos países latino-americanos vêm terceirizando para a Venezuela há anos.

Devido à rápida inflação, a Venezuela tem um dos salários mínimos mais baixos do mundo.

O seu salário mínimo é difícil de calcular devido à instabilidade monetária. É quase impossível para os venezuelanos obter qualquer moeda estrangeira à taxa oficial estabelecida por seu governo, então eles têm que os comprar no mercado negro. A essa taxa não oficial, o salário mínimo da Venezuela está atualmente abaixo de US $20 dólares por mês.

Dado que a maioria de nós vai pagar substancialmente mais por design gráfico, programação e outros trabalhos remotos, contratar trabalhadores remotos na Venezuela parece ser uma vitória para todos os envolvidos.

Albânia

Afeiçoei-me muito à Albânia por várias razões. É extremamente bem localizado geograficamente; as suas políticas fiscais são atraentes; e, em geral, o nível de vida é muito bom, apesar do baixo custo de vida.

A albânia passou por uma crise difícil durante a década de 1980, e em 1992, o comunismo caiu. O Partido Democrático Albanês ganhou a maioria dos lugares nas primeiras eleições gerais, o que fez com que as coisas mudassem nesta nação europeia.

Embora tenham sido feitos muitos progressos, a economia albanesa continua a recuperar dos efeitos do comunismo. Com uma população instruída, recursos naturais e uma boa posição geográfica (bem como belas praias), muitos países têm seus olhos postos lá por causa de seu enorme potencial.

Os albaneses são pessoas trabalhadoras que podem tornar-se bens importantes para o seu negócio como trabalhadores remotos. Como na Armênia, Sérvia ou Geórgia, a porcentagem de falantes de Inglês na Albânia é alta, e a população é jovem.

A itália, a Alemanha e os Estados Unidos têm uma presença importante na Albânia, aproveitando os seus baixos custos e impostos razoáveis. As empresas de vestuário e Calçado começaram a abrir fábricas lá desde que o comunismo terminou em 1992.

O salário mínimo da Albânia também é muito baixo para um país europeu. 210 dólares por mês não é suficiente para muitos, por isso não é incomum ver pessoas lá com dois ou três empregos diferentes. Essa é provavelmente a principal razão pela qual há uma grande população de freelancers promovendo suas habilidades e serviços para o resto do mundo.